Blog Vetys

Roupas pós-cirúrgicas para pets: entenda a importância

Roupas cirúrgicas para pet
Guia de Conteúdo

Se você possui um cão ou um gato, provavelmente, você já levou o seu pet a uma clínica veterinária para realizar uma cirurgia. A mais comum delas é a castração, procedimento que garante a saúde e bem estar do seu animal de estimação. 

No entanto, diferente dos humanos, nossos pets possuem dificuldades para se adaptar ao processo pós-operatório, sendo necessário tomar algumas precauções para que a cicatrização ocorra de maneira adequada. 

A utilização de roupas cirúrgicas é uma delas, assim você garante que o pet não fique lambendo o local e ajuda a acelerar o processo recuperativo. 

Neste artigo, vamos explicar quais são os tipos de roupas cirúrgicas mais comuns no mercado e porque a utilização deste item é tão importante para o processo de recuperação do seu animalzinho. 

A roupa cirúrgica é necessária?

A resposta é sim. Os animais costumam mexer nos pontos onde foi realizada a cirurgia, assim como lamber o local com bastante frequência. Para evitar que isso aconteça, faz-se necessário utilizar a roupa cirúrgica. 

O acessório cobre todo o corpo do animal, evitando que os machos entrem em contato com a região onde ficavam os testículos e as fêmeas, na área de corte para remoção de ovário e útero. 

Portanto, a roupa cirúrgica é sim recomendada pelos veterinários, sendo um item essencial para o processo de recuperação do animal.

Não adquira produtos sem antes consultar o médico veterinário
Avalie, junto ao veterinário, qual o melhor tipo de roupa cirúrgica para seu pet. (Foto: Envato Elements)

Quais são os modelos de roupa cirúrgica?

Existem alguns tipos de roupas cirúrgicas para animais. Antes de escolher a mais adequada para seu pet é necessário avaliar, junto ao veterinário, o porte e as características individuais do seu gato ou cachorro.  

Aspectos como a pelagem do animal, o tamanho e o nível de temperatura do bichano podem determinar qual roupa será mais indicada. Dentre as mais comuns no mercado estão: as vestimentas com proteção UV, roupas com tecnologia dry (a mesma utilizada para prática de atividades físicas), além das antimicrobianas

Conheça um pouco mais sobre cada um desses modelos:

Roupas com tecnologia dry: o tecido com a tecnologia dry é bastante leve e confortável, favorecendo a transpiração. Esse material é bastante utilizado por praticantes de exercícios físicos, pois oferecem conforto térmico e são de rápida secagem, além do tecido ser flexível, não sendo necessário passar. 

Para os pets, essas roupas são indicadas em casos de cirurgias leves. Como seu pet pode não estar acostumado a utilizar vestimentas, materiais mais finos e flexíveis ajudam na adaptação. 

Roupa cirúrgica com proteção UV: assim como os adultos, pets no pós operatório não podem pegar muito sol. A utilização de roupas com esse tipo de proteção pode facilitar na hora de passear com ele. Se você possui um pátio grande e costuma sair com frequência com seu animal de estimação, utilizar esse tipo de material ajudará a proteger a área operada, mesmo quando exposta ao sol. 

Roupa antimicrobiana: a roupa cirúrgica por si só já ajuda a proteger a área operada do contato com agentes externos, como fungos e bactérias. No entanto, as roupas cirúrgicas antimicrobianas reforçam essa proteção e ajudam a prevenir infecções. 

Leia também: Quais são os melhores shampoos para cachorro?

Dicas para ajudar na adaptação do seu pet

Para facilitar o processo de adaptação do pet ao uso da roupa, separamos algumas dicas que podem ajudar. Confira:

  • Dê preferência para roupas macias e hipoalergênicas;
  • Deixe o pet cheirar o material antes de vesti-lo;
  • Evite adquirir peças com manga longa e capuz. Os pets têm mais dificuldade de adaptação com esse tipo de material;
  • Se o animal f
    icar extremamente incomodado com o uso e apresentar inquietação, retire a roupa;
  • Adquira uma roupa no tamanho certo. Essa é uma das regras para facilitar a adaptação;
  • Lave o item com sabão neutro, pois produtos com fragrância podem afastar o animal ou causar alergias.
Os gatos costumam ser mais resistentes
Gatos e cachorros possuem maneiras diferentes de se adaptar ao uso das roupas cirúrgicas. (Foto: Envato Elements)

A adaptação de gatos e cães é a mesma?

A adaptação ao uso das roupas cirúrgicas é diferente entre gatos e cachorros. No geral, os gatos são mais resistentes a este tipo de material e podem ficar bastante incomodados com o uso da vestimenta. Por isso, é necessário ter paciência e respeitar as necessidades do seu animal de estimação. 

Já os cachorros são mais domesticados e tendem a se adaptar melhor ao uso desse acessório. Essa resposta adaptativa tem bastante a ver com a personalidade do bichano. 

Os cães são mais brincalhões e receptivos, além de fazerem um esforço maior para agradar o tutor. Já os felinos, possuem um personalidade mais forte e são mais desconfiados em relação a novidades. 

Atenção ao pós-cirúrgico!

O processo de recuperação está intimamente ligado aos cuidados no pós-cirúrgico. Como os animais de estimação costumam ficar mais estressados e agitados nessas situações, ajude a tranquilizar o seu pet

Fique atento ao comportamento do gato ou cachorro, observe se a roupa está inserida de forma adequada e se o local da cirurgia está bem protegido. 

Caso você observe situações adversas ou uma rejeição total ao uso da vestimenta, converse com o seu veterinário para achar alternativas.  

Conclusão

O uso de roupa cirúrgica é imprescindível para acelerar o processo de recuperação do animal, afinal, você evita o contato do mesmo com as áreas operadas.

Antes de escolher o tipo de vestimenta, converse com seu médico veterinário para entender qual a opção mais indicada para o seu pet.

A Vetys do Brasil oferece roupas cirúrgicas para gatos e cachorros. O material é leve e flexível, com zíper ajustável para facilitar o encaixe no seu animal doméstico. Quer conhecer um pouco mais sobre os produtos da Vetys? Clique aqui e confira!

5/5 - (1 vote)

Pércio Brasil Grezzana

Profissional farmacêutico formado pela Universidade do Vale do Itajaí no ano de 2004, com diversas Pós Graduações, entre elas: especialização em Indústria farmacêutica e Especialização em Master Business Administration em Gestão Empresarial. Diversos anos de experiência no setor de desenvolvimento de produtos, produção e controle de qualidade físico química e Microbiológica. CRF-SC 6910 Farmacêutico Industrial

Profissional farmacêutico formado pela Universidade do Vale do Itajaí no ano de 2004, com diversas Pós Graduações, entre elas: especialização em Indústria farmacêutica e Especialização em Master Business Administration em Gestão Empresarial. Diversos anos de experiência no setor de desenvolvimento de produtos, produção e controle de qualidade físico química e Microbiológica. CRF-SC 6910 Farmacêutico Industrial

Artigos: 22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

O bem estar animal possui conceito amplo e recebe muitas interpretações de estudiosos da área.…

Empreender ou investir no mercado pet com certeza é um bom negócio. O setor tem…

O mercado pet vem crescendo a cada ano, impulsionado pelo aumento do número de animais…